quinta-feira, 2 de junho de 2011

SARAU POESIA NA BRASA, TRÊS ANOS DE EXISTÊNCIA E MUITA, MUITA RESISTÊNCIA.

Peço licença pra compartilhar uma ideia sobre o Sarau Poesia na Brasa e vou tentar ir direto ao assunto.


Não é dinheiro, não é fama, não é glória se estamos fazendo um sarau no bairro de Vila Brasilândia é por amor e compromisso com as FAVELÁFRICAS e com os FAVELÁFRICANOS.


Organizamos saraus em escolas, abrigos, centros culturais, “prisões”, becos, vielas, ruas, praças igrejas. Debates, palestras, encontros, oficinas, oito livros foram publicados e fizemos isso com a maior seriedade e comprometimento que nos é possível, porque não nascemos para ser “mais um sarau”, não nascemos para elevar o nome de ninguém individualmente, o que move nossos trabalhos é compromisso com nossa comunidade, compromisso com nossos ancestrais e com os recursos que temos, tentamos contribuir na transformação da nossa quebrada, sem com isso achar que somos melhores que ninguém.


E contrariando as previsões de algumas pessoas que diziam que nossos trabalhos não durariam nem um mês, convidamos, desde já, todos para celebrar os nossos três anos de existência e resistência, em um encontro no dia 02 julho, com muita música, poesia e o lançamento da “ANTOLOGIA POESIA NA BRASA VOL. III”


Agradecemos a todos que somaram, diretamente ou indiretamente, com a “nossa” caminhada, quem somou com um dia ou com anos de trabalho, fica aqui nossos sinceros agradecimentos. Pedimos “desculpas” por várias vezes a cara estar amarrada e pela extrema seriedade nas nossas falas e ações, porém os problemas são muito sérios e profundos e por isso nem sempre é possível que o sorriso brote de nossos rostos, mas sabemos que sempre que necessário, nossa lança que irá ferir o opressor será nossa gargalhada.

Um comentário:

Humberto Fonseca disse...

dale!!
paulada na muringa!!!

"Isso é o materialista do sensacionalismo, a notícia de que todos nós temos que matar um leão por dia, uma borboleta, seja qual for o animal, até mesmo um artista."

atritos, vira-e-mexe, alguém tem que sacudir a poeira nos olhos por estes ventos que se passam.

tamu junto!
e num vejo a hora de colar por ai!!

saudações braseiros!!

parabens!

Bebeto