segunda-feira, 23 de agosto de 2010

TAMBOR, TAMBOR...

Só quem viu pode sentir a energia dos tambores na última edição do Sarau Poesia na Brasa. O clima estava ótimo, temperatura agradável, os amigos e a família reunidos, Kolombolo tocando boa música e a cerveja estava gelada, clima ideal para mais um sarau daqueles. Não esperávamos nada muito além do que sempre acontece nas nossas rodas de poesia, porém quando os tambores começaram a tocar, foi como se o espaço fosse tomado pelos encantados, prontos para nos acompanhar e auxiliar, e nosso terreiro da palavra, dessa vez teve como dono da noite, versos carregados de muito desabafo, coração na ponta do verso, botando pra fora tudo aquilo que estava a nos angustiar e o resultado foi que saímos do sarau com a alma lavada, com os ombros mais leves e com as baterias recarregadas. Agradecemos a todas e todos que possibilitaram esse momento, até o próximo sarau.




















Um comentário:

UNI-VERSO disse...

Confirmo o texto sobre as fotos
foi um sarau muito agradevel.
So quem tava lá soube