quinta-feira, 19 de março de 2009

Sarau Elo-Da-Corrente


Saudações guerreiros e guerreiras. Já há algum tempo que estou querendo escrever algo sobre esse assunto, Sarau do Elo-da-Corrente, que acontece todas as quinta feiras às 20:30 no bar do poeta Cláudio Santista em Pirituba. Pois bem, então peço licença para expressar um pouco do que vejo e sinto por lá. Só por existir um sarau permanente e independente em um bar de Pirituba isso por si só já seria uma vitória para os moradores da periferia, mas não é só um sarau, ali naquele pequeno espaço coisas mágicas acontecem, todos deixam a mostra suas emoções, inquietações, por ali amizades foram feitas, outras foram fortalecidas e a periferia se “fortalece no bar do Santista”. Quem comanda a festa é Raquel Almeida e Michel Silva, acompanhados por Douglas, Divino e o anfitrião da casa Cláudio Santista, o esquema é a livre expressão, tudo transmitido para os moradores do bairro pela rádio comunitária, “Urbanos FM”. Mas como já conversamos várias vezes, fazer poesia na periferia e ainda mais dentro de um bar não é tão fácil como parece, dividimos espaço com os freqüentadores do bar, que até então eram levados para lá somente para amenizar um pouco a vida entre uma dose e outra, nos arredores muitos outros trabalhos também acontecem, que só quem é consegue perceber e ter gingado para lidar. Mas é ali mesmo que essa corrente desenvolve seus trabalhos e com esse povo que se constrói cada elo da já forte corrente, propondo outras formas de amenizar a vida, “Ontem litros, hoje livros“. Porém amenizar não é o propósito dessa gente, barreiras mentais são quebradas, injustiças são apontadas, identidade negra é afirmada é a periferia organizada. Poesias tiradas dos becos, que fala das vielas, que desce junto com a água dos morros, que toma tapa da polícia por ser poesia negra, por ser poesia das quebradas, por ser poesia que conta nossa realidade. E o movimento não para dentro do bar, eles ocupam bibliotecas, centros culturais, escolas ruas e praças levando os frutos de suas conquistas transmitidos em livros que eles mesmos escreveram, cravando de vez o punhal no peito da alienação. Axé elo-da-corrente, e que nossa caminhada que se encontrou nesse ano de 2008 ainda seja repleta de conquista para o nosso povo.

2 comentários:

raka disse...

Salve,Salve povo da Brasa!
Loko esse link, essa irmandade se está se fortalecendo... Ja somos familia!

Axé!

Raquel

ELO DA CORRENTE disse...

Tamo junto lado a lado misturado e se derrubar nois levanta e atropela ..rsrsr

michel