quinta-feira, 18 de setembro de 2008

MAIS UMA NOITE DE VITÓRIA DA PERIFERIA

TREMA ELITE, TEMA

O Sarau esta crescendo, ecoando por todos lados e dia 13 de Setembro foi mais um passo, noite louca, maravilhosa, de festa, lançamento do livro do Seu João do Nascimento, veio galera de todos os cantos, gente da Leste, da Sul, da Oeste, sem falar da Norte, os irmãos do Elo da Corrente compareceram em peso pra somar com os poetas da casa, foi um espetáculo, teve de tudo, criançada tocando tambor, declaração de amor, muita música e poesias fantásticas. Quem esteve presente pode se emocionar com letras fortes e sinceras. Fascinante também foi poder ouvir os novos Poetas que colaram no Sarau, Eliane, Babão e Clébio deixaram aquela noite de Setembro mais contagiante, os Poetas da casa e os que vieram somar deram um show a parte, todos foram embora esperando ansiosamente pelo próximo Sarau dia 27 de Setembro, que será mais uma noite linda e repleta de cultura periférica. Esperamos nos encontrar no próximo, com a mesma alegria de quem recita uma poesia, UM GRANDE ABRAÇO DA GALERA POESIA NA BRASA.

A FAMÍLIA COMO SEMPRE MARCANDO PRESENÇA NO SARAU

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

ELAINE RECITANDO O QUE É SER POETA

O que é ser poeta?

O que é ser poeta?
É possuir para sempre a inquietude de modo profundo
Ou a paz de enxergar a beleza do mundo?
O que é ser poeta?

É ter tido um grande amor para se inspirar
Ou então por esse amor sofrer e calar?

Ser poeta é ser feliz e ser triste ao mesmo tempo
É enxergar o mundo de modo diferente
É experimentar o sentimento de modo latente
É não ser alienado e ao mesmo tempo ser feliz
É brigar contra a apatia e a futilidade
É viver sonhando,mas acordado,transformar a realidade
É fazer da vida sua religião
Sem julgar ouapedrejar o irmão
É nutir os esfomeados que tem fome depalavra e de pão
É ser um sacrilégio,rezando a missa das letras
É fazer a comunhão da palavra,consagrar com vinho a inspiração
É dizer nada mais que a verdade, aquela que carrega no coração
É elevar cantigos aos céus
Quando exalta sua terra,sua cultura e sua gente
É plantar dúvidas e idéias,no coração do outro ser a semente
E o nosso Deus lá de cima houve contente as poesias
E se orgulha de ao homem ter dado intelig~encia
Principalmente ao poeta que fala bonito, independente de sua crença
E com essa poesia tento explicar um pouco do que é ser poeta
É enxergar a podridão e a beleza do mundo
É carregar no corpo uma alma livre e inquieta

SIDNEI MANDANDO UM CONTO


Super Homem (ou Zé Preto versão 2)

O Super Homem, homem inigualável, super por que suporta mais que os outros, não veio de outro planeta, nem de uma experiência genética espetacular.

Nascido na favela sem nenhuma estrela que indicasse aos santos reis magos sua existência, fruto de uma transa sem amor entre uma mãe viciada e o pai cafetão, que logo após o orgasmo desapareceu de suas vidas como u, cisco em seu olho, que chega sem avisar, parte sem se identificar e só causa incomodo enquanto esta lá.

Super Homem cresceu não conhecendo outra resposta, apenas o não, não tem escola, não tem trabalho, não tem comida.

A mãe nunca abandonou a vida que tinha se acostumado a levar, mesmo durante a gravidez usou tanta droga, que foi inacreditável ele ter nascido parecendo gente.

Super Homem crescia e os não continuavam, tio tem trabalho? Não, tio tem trocado? Não, tio tem respeito? Não, tio tem piedade, Não, Não e Não.

Mas mesmo com todas essas dificuldades não se deixava abater, daí surgiu o Super Homem, um amigo o único que se lembrava, o apelidou, disse você não é como os outros você é forte, segue em frente mesmo o mundo sendo tão indiferente.

Esse Super Homem, não temia a cripitonita verde, alias era do verde que vinham seus poderes, com o verde ele podia voar, passava por entre um emaranhado de fios e rabiolas e via tudo tão colorido, que preferia pensar que estava as vésperas de uma copa do mundo, as vezes voando se ralava passando por muros protegidos por cacos de vidro e ficava triste pensando, pobres se protegendo de pobres, pois ele sabia que ricos não usam cacos de vidro e se usassem seria do Whisky importado mais caro, feito com um álcool tão puro, que estes pequenos arranhões lhe custariam uma embriaguez.

Os anos se passaram e as coisas na mesma, o desaforo, o esquecimento, a angústia, mas nem uma lágrima de choro, porém enfim depois de 25 anos de desprezo, sua vida começou a se interessar por ele, encontrou um amor e um bico que lhe rendia pouco dinheiro,em pouco tempo estavam morando juntos esperando um herdeiro,mas o destino desse Super Homem ainda não estava selado, e um dia sentado com amigo no carro, mais uma chaga se abriu, foi preso com tanto flagrante que ninguém acreditou que só o amigo era traficante, e o pior ele nem sabia, encarcerado, nu e no escuro, só pensava na primeira coisa que construiu, a mulher em casa com a barriga cheia gerando uma vida e a geladeira vazia, pegou 3 anos, mas ainda assim não era frustrado, só conhecia o filho por fotos e a amada, como a desejava mais, dia após dia.

No entanto as coisas do lado de fora já não eram como alguns anos atrás, o que ele mais ouvia é, ex presidiário na minha empresa jamais, e o filho crescia e o dinheiro diminuía, ouviu a resposta de um amigo ex interno, na segunda a noite, na empresa grande três homens de terno, o retorno era bom, até arrumar coisa melhor, mas o que ele não sabia era que estava tudo armado, o assalto correu bem, o Super Homem correu, mais que os outros, correu mais que as balas disparadas pelos defensores públicos que haviam armado a cilada e queriam por a mão na bolada, fugiu de casa com a mulher e o filho, mas agora ele tinha o que eles queriam, já não era mais invisível, Super Homem se deparou com seu maior pesadelo, seu verdadeiro Lex Luthor, os arqui inimigos da Liga da Justiça, a polícia, o mais novinho veio lhe falar com a cara alucinada e o bigode clássico estilo Hitler, que deixava a marca branca em baixo da narina, deixando claro a maquiagem que aquele policial acabará de retocar, chegou lhe torcendo o braço e começou a gritar, O DINHEIRO NÓS VAMOS LEVAR, VOCÊ E SEU FILHO NÓS VAMOS ESPANCAR E SUA MULHER EU VOU ESTUPRAR.

Ele lhe tiraram tudo o dinheiro que não vai mais voltar, a mulher que disse não para roubar e para sua cara não quer mais olhar e o filho que preferiu com a mãe ficar.

O Super Homem estava fraco, meteu a mão no bolso e com seus últimos trocados do verde foi comprar, encheu a cabeça de idéias para depois com uma arma as espalhar, seu corpo no chão ele olhando, se questionando, será que escolhi a cor errada? Será que escolhi a renda errada? Será que escolhi a vida errada?

Chegou nos céus e viu uma figura Ariana vindo em sua direção, assustado perguntou, quem é você? E a figura respondeu com sarcasmo, SOU DEUS NÃO PERCEBEU, MESMOCOM TODAS SUAS ESCOLHAS ERRADAS AS PORTAS DO CÉU VOU ABRIR, DEIXE DE CONVERSA E VENHA LOGO DA UM ABRAÇO EM MIM.

Super Homem então lhe falou, não quero ficar aqui, quero ficar com seu irmão o Diabo.

Deus assustado perguntou, ora mais por que?

Super Homem, juntou toda raiva acumulada em sua vida e respondeu, O DIABO MESMO SENDO SÁDICO NÃO PODE TIRAR MAIS NADA DE MIM, AGORA VOCÊ VIU TODO MEU SOFRIMENTO E ME OFEREÇE UM ABRAÇO SÓ NO FIM.

CASA CHEIA PARA OUVIR CLÉBIO E SEU POEMA BRASIL COM M

Brasil com M

Maria Madalena

Menina marcada

Moça maltratada

Mulher mutilada pelo marido

Moradora do morro

Mãe de Mateus, Marcos e Márcia

Mateus matou

Marcos morreu de mágoa

Márcia virou meretriz

Em sua maloca, pelas mãos dos militares, Madalena morreu mirando melhorias

Modernidades em meio ao mal

Marta

Milionária

Mulher mesquinha

Ministra, mero marketing

Mãe de músicos

Maltratou milhões de munícipes

Magnificada pela mídia de merda

Medimos mulheres

Mega-traficantes marcam meninas

Multinacionais malditas matam muitas

SAMANTA DISPENSANDO COMENTÁRIOS

Horizonte

Sem trevas, sem léguas de sede, fome, caos, síndrome do pânico a me calar.

Pessoas sem som, sem música, com dor, cansaço, ausência do amor, falta da esperança

Desiludida, dissolvida num canto triste de cor vermelha densa, ação do não


Aurora nascendo com o vôo dos pássaros para acasalar

Crianças nascem, aprendem a andar

Os adultos tentam mais esquecem de ensinar

Como a vida anda e desanda

Sem mesmo avisar


É um ciclo intenso com infinita luz a brilhar

Já é dia

ouço o galo cantar,abro os olhos e vou de peito aberto

esperando que tudo vá melhorar

BABÃO DISPARANDO SEU 1º POEMA

Eu ontem fui a um lugar

Que me serviu de inspiração

Vi muita gente a recitar

Tudo coisa do coração

Coração angustiado

Com toda a situação

Com raiva da política

Que nunca foi de agradar

Às vezes com raiva do irmão

Que pensa que é uma boa pessoa

Mas que quando lhe pedem

Quando a necessidade

Lhe bate a porta

Torce o nariz que nem uma porca

E deixa de partilhar o pão

Na tv uma corrida ridícula

Valendo 1 milhão

Para 1 filho da puta

Que ainda sai como herói

Herói é o pai de família

Que com 1 salário de merda

Que o governa pensa que

Dá pra viver tranqüilo

Eu queria ser pobre por 1 dia

Por que todo dia é foda !

Vou terminar essa

Ficando um pouco aliviado

Pois o que não tenho coragem de dizer

Tá anotado

Aos que ouviram o meu dizer

Só falta dizer muito obrigado

FRANCYELLE GARANTINDO O FUTURO DO SARAU

Poesia na brasa
poesia na chapa
sempre irei levar em minha vida
poesia na brasa
O POETA JOÃO DO NASCIMENTO DANDO UMA PALHINHA DO SEU LIVRO

video
VAGNER, ALAN E AMAURI QUEBRANDO AS BARREIRAS DO ACESSO COM MÚSICA E CULTURA SIM!

video
PEDRO TOSTES DANDO UM SHOW

video
JÚLIA E MAYCON TOCANDO TAMBOR, LINDO, EMOCIONANTE E NATURAL.

video

OS POETAS DA NOITE

SEU JOÃO DO NASCIMENTO E SUA CRIA O LIVRO "CÓRDEIS E POESIAS PARA CANTAR" O POETA DIVINO MICHEL SEMPRE JUNTO, JÁ É DA CASA CAROL SONIA DIEGO VAN E TAÍS VAGNER RENATO PALMARES " O ANDARILHO" SORAIA BÁRBARA ALESSANDRA SALSICHA CAMILA DIRETO DA SUL PARA A BRASA



RAQUEL E AMAURI DETONANDO NO ATABAQUE E RECITANDO MÃE ÁFRICA

video
ATABAQUE, TAMBOR E PANDEIRO, FAZENDO MUITO BARULHO E CONVIDANDO TODOS, TODOS OS POETAS PRA FALAR NO SARAU !

video
DIEGO SE DECLARANDO PARA ANA AO ESTILO DA BRASA

video
ELIANE SOLTANDO O VERBO NO SARAU, MAS UMA POETA CHEGANDO PARA SOMAR

video

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Dia de correria

Dia de correria, que por si só deve ser encarado como uma poesia... E se considerarmos que essa correria foi pra ouvir, recitar, emocionar, emancipar, amar e protestar poesia durante todo o dia, então deveríamos considerá-lo como o nosso mais recente livro da viva poesia que ecoa diretamente das várias periferias envolvidas.
E quando falamos em correria não estamos exagerando não. Depois que conseguimos nos reunir após uma manhã de trabalho, partimos acelerados para Santo Amaro procurando pelo fantástico encontro das mais limpas águas na Pororoca Literária. Logo que chegamos, partimos para o reconhecimento do local, no todo muito parecido com nossa própria quebrada, e antes de iniciar o ataque sobre a mesmice de mais um final de semana de sonhos de consumo em um barulhento centrinho comercial periférico, encontramos outros irmãos na mesma correria e que como nós estavam ali para fazer a vida e não mais serem feitos por ela. Assim, juntos, sem nos separar, partimos todos ao ataque!! Quando avistamos a dimensão da Pororoca não nos assustamos, pelo contrário, sorrimos e mergulharmos naquele turbilhão de vivas e vividas poesias. Infelizmente não pudemos nos demorar, já que felizmente, em pouco tempo, iria rolar o Sarau Poesia na Brasa. Saímos das águas literárias encharcados, cruzamos a cidade e na correria voltamos para Brasilândia afim de inundá-la também.
A noite de 30 de agosto de 2008 foi mais uma noite maravilhosa!!! Ainda ouço em meus ouvidos os gritos de nossos ancestrais que ecoaram através do feliz encontro das mãos do poeta e compositor Amauri Júnior com o nosso atabaque. E para somar nesta inesquecível noite vieram os poetas do Sarau Elo da Corrente, também encharcados pelas “paláguas” poéticas da Pororoca Literária. Para aqueles que não foram só temos uma coisa a dizer: o próximo Sarau Poesia na Brasa será dia 13 de setembro!!! E pra ficar ainda melhor, neste mesmo dia nosso sarau contará com o lançamento do livro “Cordéis e Poesias para Cantar” do poeta de Pirituba, e do Sarau Elo da Corrente, João do Nascimento Santos!!!
Só lembrando que o silêncio, que em variados momentos tem variados significados, passando do medo à angustia e da surpresa a uma manifestação contida de extrema felicidade, durante o sarau, enquanto ouvimos nossos poetas e nossas poesias, este mesmo silêncio significa RESPEITO.

Sarau Poesia na Brasa





TAMBOR, TAMBOR VAI BUSCAR QUE MORA LONGE
TAMBOR, TAMBOR VAI BUSCAR QUE MORA LONGE
Ô MEU TAMBOR, QUE É FEITO DE COURO E PAU
VAI BUSCAR TODOS POETAS PRA FALAR NO MEU SARAU
VAI BUSCAR TODOS POETAS PRA FALAR NO MEU SARAU

OUVINDO O SOM DO MEU TAMBOR E TAMBÉM DO BERINBAU
VÊM CHEGANDO OS POETAS PRA FALAR NO MEU SARAU
VÊM CHEGANDO OS POETAS PRA FALAR NO MEU SARAU

O SARAU É COISA BOA
COM AMIGOS É MAIS LEGAL
VÊM CHEGANDO OS POETAS PRA FALAR NO MEU SARAU
VÊM CHEGANDO OS POETAS PRA FALAR NO MEU SARAU

Amauri



SIDNEI DISPARANDO PERIGOSAS PALAVRAS

MAIS UM ANÔNIMO

Cansei de ser a falha no sistema
Cansei de ser o tonto da história
Cansei da injusta guerra
Cansei de esperar a vitória

Estou farto de ver as coisas acabar
Estou farto das pessoas me pedirem algum pra comprar
Estou farto de ter de negar, para aquela que nunca deixou de me amar
Estou farto de ser a ela que nunca me deixou nada faltar

Estou esgotado de ver a mãe ir ao médico
Estou esgotado de ver os irmãos no corre, corre
Estou esgotado desse mundo sádico
Estou esgotado desse mundo que não nos socorre

Recentemente entrei pro time dos homens angustiados
Descobri que nos deixaram a todos limitados de desejos
Percebi que o tráfico banca políticos safados
Sei que existe na terra muita podridão, mas os detalhes ainda não os vejo

Deus pra mim morreu
Quem manda na minha vida talvez seja eu
Não tenho fé para rezar
Não tenho vontade de orar

Irmãos amigos em mim encontram abrigo
Amigos irmãos não temam o perigo
De dia trabalho e responsabilidade
De noite desbaratinam e mostram quem são de verdade

Brasa, Elo, Cooperifa em ação
Todos irmãos juntos dão as mãos
Que o poeta Sérgio Vaz continue a ser inspiração
E que nossos poetas nunca recitem em vão

Crianças nessas sim eu acredito
Fazem arte, pintam e bordam com naturalidade
Choram, riem faz tudo ser bonito
Quanto a isso eu tenho saudade daquela idade

Casei por ser apaixonado
Uma dama muito linda me deu uma flor
Eu aceitei e logo em troca
Lhe dei todo meu amor

O que tenho não sãos vícios
São companheiros para solidão
Nesse corpo criativo de Alegria
Também se esconde a depressão

Suicídio não é objetivo
É uma das áreas de atuação
Pessoas desesperadas
Que não encontram solução

Ser feliz é difícil
Exige muito sacrifício
Nos tratam como um monte de lixo
Nos jogam as migalhas, somos bichos

E com ajuda do poeta sambista de verdade
Que não vendeu cerveja para publicidade
O mundo é um moinho
E vai triturando todos os meus sonhos, não só os mais mesquinhos.

Sidnei das Neves



LEANDRO EMOCINANDO A TODOS

Sarau

Sarau...Palavra de nome até engraçado, que eu não tinha idéia do significado.
Até que um dia, após ser convidado decidi participar, ou melhor, (assistir)...
Vi e ouvi muitas coisas bonitas, nada de palavras melosas
e sim coisas vindas do coração, fatos vividos, presenciados, desejados...

Pessoas que se reúnem para trocar idéias e sentimentos
De uma forma diferente...
Me contagiou...

Percebi que estou próximo de pessoas que buscam algo diferente
trazer para as pessoas da comunidade, região, uma cultura esquecida
Trazer para Periferia algo marcante
Poderiam estar reunidos fazendo um milhão de coisas...Mas se reúnem em um espaço para plantar esta semente e contaminar as pessoas com algo diferente...Colheram muitos frutos e com certeza muitos sairão contaminados, como eu, que busco neste “segundo encontro” que participo, ou melhor “assisto”, absorver a essência deste encontro...

Não sou da Brasa, mas também sou de Periferia, diferente desta, que possui pessoas como vocês que marcam este momento com algo que pode e muda o cotidiano de qualquer Periferia com o Sarau...
É uma palavra que continuo sem saber o real significado, mas agora podendo garantir a quem Perguntar!!!

Gostei é muito bom!!!

Leandro A. Ferreira

Mais uma morte na quebrada... mas essa já estava jurada há algum tempo.... adeus finada "Mesmice"... SARAU LOTADO!!!!!!

JOÃO DO NASCIMENTO SANTOS,
dia 13 de setembro tem o lançamento do livro dele, "Cordéis e Poesias para Cantar", aqui no Sarau Poesia na Brasa


Vagner e os amigos do Sarau Elo da Corrente, de Pirituba!!!



"[...] e numa noite fria nos tira de casa [...]"

José Corrêa, do Sarau Elo da Corrente

Felipe



GALERA!!!!


As Mulheres representando. Soninha, do Sarau Elo da Corrente.



o que dizer? FRANCYELLE!!!!!!!

Vozes do Sarau Poesia na Brasa - Samanta

video